Página Inicial Notícias EntretenimentoEsportesSaúdeTecnologiaGaleria de Imagem
Buscar
      



Notícias
Notícias
Esportes
Negócios
Destaques
Brasil
Mundo
Cultura
Saúde

Serviços
Guia comercial
Classificados

Entretenimento
Mural de Recados
Bate Papo



Untitled Document
Enquetes
Gilmar Mendes declara que a passeata da liberação da maconha , foi muito bem “baseada” por ele
Uma vergonha
Achei otimo
Deve ser punido
O estado ta perdido
O STF dever ser reformulado
Outros


Ver resultados
 
 
notícia publicada em 24/06/2011
Tribunais viraram instrumento de censura a imprensa no Brasil
O crivo vem através dos tribunais
Jornalista Nasser Imprimir  
 
 Créditos da Foto: Agencia Press 
Em estudo lançado na última segunda-feira, 2 de maio, a Freedom House considerou o Brasil “parcialmente livre” e o posicionou em 90º no ranking mundial de liberdade de imprensa. O país ocupou um modesto 22º lugar em um total de 35 nações das Américas. O mau desempenho pode ser explicado por uma prática cada vez mais comum: o assédio judicial a jornalistas.

Uma análise do site alemão Deutsche Welle (DW) sobre a situação da liberdade de imprensa brasileira constatou que os interessados em impedir que uma informação venha a público encontram na justiça um instrumento de fazê-lo.

O site cita os casos do jornalista paraense Lúcio Flávio Pinto e do jornal Estado de S. Paulo. As inúmeras denúncias de corrupção, desmatamento ilegal e tráfico de madeira renderam a Pinto, único editor do Jornal Pessoal, mais de 33 processos, lembrou DW. Já o Estado está há quase dois anos sob censura prévia, proibido judicialmente de publicar matérias relacionadas à operação Boi Barrica.

Para o sociólogo Benoît Hervieu, chefe da organização Repórteres Sem Fronteiras para as Américas, é com dificuldades que muitos profissionais brasileiros expressam sua opinião. "A questão da insegurança é mais grave no Norte e no Nordeste. Os jornalistas têm confrontos com as autoridades e também com o crime organizado e com traficantes de maneira muito violenta", avalia Hervieu, entrevistado pela DW.

Apesar das avaliações negativas de organismos internacionais e dos recentes casos de atentados contra jornalistas no Brasil, a ministra da Secretaria de Comunicação Social, Helena Chagas, afirmou à publicação alemã que o país possui plena liberdade de imprensa e todos publicam o que querem.

Chagas atribuiu a perseguição nos tribunais às falhas do sistema judiciário. “Não é um problema da liberdade da imprensa. É um problema de segurança, de Justiça, um outro tipo de mazela da nossa sociedade", disse a ministra.

A tradicional concentração dos veículos de imprensa brasileiros, mantidos, muitas vezes, por poucas famílias ou por políticos, também foi apontada como um entrave à liberdade de imprensa. "Deveria ser um objetivo do poder federal garantir mais pluralismo na imprensa", acrescentou Hervieu.


 
Oriente Medio
Fronteira aberta Após quatro anos, Egito reabre fronteira...
Crime organizado
O que é o crime organizado
Escravidão
O trabalho escravo no Brasil
Nutrição
Não indicado para crianças! E nem para adultos.

 Todos os direitos reservados a Agencia Press: A noticia acima de qualquer suspeita